57 de 101 – Eu decidi que quero ir longe

Eu decidi que quero ir longe.

57

Durante um bom tempo eu entendi que precisava aprender a ser sozinho, porque se eu esperasse que alguém apoiasse minhas ideias, eu não conseguiria nada na vida.

Entre os 17 e 19 anos o meu apelido era Cérebro (aquele do desenho Pink & Cérebro), porque diziam que meu plano era dominar o mundo.

E meio que ainda é. rs.
Eu não sei pensar pequeno.

Porém, o que acontece é que quando você começa a pensar grande ao lado de pessoas que foram treinadas a pensar pequeno, tudo o que você diz parece loucura. Então, ou você se torna motivo de piada, ou as pessoas se afastam de você.

Mas ainda tem um terceiro cenário, que é pior do que os dois anteriores que falei, que é quando as pessoas gostam de você, mas acreditam que você está “sonhando demais”. E na tentativa de ajudar você, essas pessoas com todo a boa vontade do mundo, começam a trabalhar para matar os seus sonhos.

Quando são apenas colegas de trabalho, escola ou faculdade é doloroso mas nem sempre é o suficiente para desanimar você. O problema é quando é alguém que você ama…

Algumas vezes a pessoa que tenta matar seus sonhos é alguém tão próximo de você, e alguém que você valoriza tanto, que existe a possibilidade de você acabar acreditando que está sonhando demais, e então você desiste.

E quando eu percebi que eu tinha pessoas demais assim ao meu redor, ou seja, pessoas que foram treinadas para pensar pequeno, e agora estavam tentando “me ajudar” a parar de pensar tão grande feito um idiota, eu comecei a me fechar.

Percebi que a única pessoa em quem eu poderia confiar era em mim mesmo.

Eu acreditava em mim, no meu potencial, e na minha capacidade de sacudir o planeta, de deixar meu nome na História e minha marca no universo.

Eu acreditava que o mundo deveria ser um lugar melhor porque eu estive aqui.

Eu acreditava em mim, mas as pessoas ao meu redor, não.

Então parei de acreditar nas pessoas, e também parei de esperar que as pessoas acreditassem em mim, e simplesmente comecei a me dedicar a crescer na vida, na raça e sem esperar nada de ninguém.

Porém aos poucos, sem querer eu fui agregando algumas pessoas na minha vida, poucas, dá pra contar nos dedos de uma mão… Pessoas que realmente acreditam em mim, a ponto de apostarem suas vidas nisso.

Quando eu notei isso, desmontei. Descobri que eu não estou sozinho e isso me assustou.

Eu já sei andar sozinho, tive que aprender. Já sei enfrentar meus desafios internos sem dividir com ninguém, já sei estar acordado enquanto todos dormem, já sei sonhar calado porque não há quem fale a minha língua… Agora, o que eu ainda preciso aprender é a andar acompanhado.

Você já tentou andar ao lado de alguém que está acostumado a andar sozinho? É muito engraçado, porque de repente você perde a pessoa. Ela atravessou a rua e você nem viu, e nem ela percebeu que você não foi com ela.

É um pouco assim que eu ando na vida, só que hoje eu percebi que não estou mais sozinho como já estive antes, e confesso, isso é mais assustador pra mim do que quando eu estava só.

Mas então me lembro de uma frase que muito se fala no meio em que convivo, porém acredito que só agora começo a entender realmente o que ela significa:

“Quer ir rápido, vá sozinho. Quer ir longe, vá acompanhado”

Eu decidi que quero ir longe.

Giordano Narada
maisdoqueideias

Ps. Obrigado a você que decidiu caminhar comigo.

 

Artigos Relacionados


57 de 101 – Eu decidi que quero ir longe

Eu decidi que quero ir longe. 

Longe2

Durante um bom tempo eu entendi que precisava aprender a ser sozinho, porque se eu esperasse que alguém apoiasse minhas ideias, eu não conseguiria nada na vida.

Entre os 17 e 19 anos o meu apelido era Cérebro (aquele do desenho Pink & Cérebro), porque diziam que meu plano era dominar o mundo.

E meio que ainda é. rs.

Eu não sei pensar pequeno.

Porém, o que acontece é que quando você começa a pensar grande ao lado de pessoas que foram treinadas a pensar pequeno, tudo o que você diz parece loucura. Então, ou você se torna motivo de piada, ou as pessoas se afastam de você.

Mas ainda tem um terceiro cenário, que é pior do que os dois anteriores que falei, que é quando as pessoas gostam de você, mas acreditam que você está “sonhando demais”. E na tentativa de ajudar você, essas pessoas, com toda a boa vontade do mundo, começam a trabalhar para matar os seus sonhos.

Quando são apenas colegas de trabalho, escola ou faculdade, é doloroso mas nem sempre é o suficiente para desanimar você. O problema é quando é alguém que você ama…

Algumas vezes a pessoa que tenta matar seus sonhos é alguém tão próximo de você, e alguém que você valoriza tanto, que existe a possibilidade de você acabar acreditando que está sonhando demais, e então você desiste.

E quando eu percebi que eu tinha pessoas demais assim ao meu redor, ou seja, pessoas que foram treinadas para pensar pequeno, e agora estavam tentando “me ajudar” a parar de pensar tão grande feito um idiota, eu comecei a me fechar.

Percebi que a única pessoa em quem eu poderia confiar era em mim mesmo.

Eu acreditava em mim, no meu potencial, e na minha capacidade de sacudir o planeta, de deixar meu nome na  História e minha marca no universo.

Eu acreditava que o mundo deveria ser um lugar melhor porque eu estive aqui.

Eu acreditava em mim, mas as pessoas ao meu redor, não.

Então parei de acreditar nas pessoas, e também parei de esperar que as pessoas acreditassem em mim, e simplesmente comecei a me dedicar a crescer na vida, na raça e sem esperar nada de ninguém.

Porém aos poucos, sem querer, eu fui agregando algumas pessoas na minha vida, poucas, dá pra contar nos dedos de uma mão… Pessoas que realmente acreditam em mim, a ponto de apostarem suas vidas nisso.

Quando eu notei isso, desmontei. Descobri que eu não estou sozinho e isso me assustou.

Eu já sei andar sozinho, tive que aprender. Já sei enfrentar meus desafios internos sem dividir com ninguém, já sei estar acordado enquanto todos dormem, já sei sonhar calado porque não há quem fale a minha língua… Agora, o que eu ainda preciso aprender é a andar acompanhado.

Você já tentou andar ao lado de alguém que está acostumado a andar sozinho? É muito engraçado, porque de repente você perde a pessoa. Ela atravessou a rua e você nem viu, e nem ela percebeu que você não foi com ela.

É um pouco assim que eu ando na vida, só que hoje eu percebi que não estou mais sozinho como já estive antes, e confesso, isso é mais assustador pra mim do que quando eu estava só.

Mas então me lembro de uma frase que muito se fala no meio em que convivo, porém acredito que só agora começo a entender realmente o que ela significa:

“Quer ir rápido, vá sozinho. Quer ir longe, vá acompanhado”

Eu decidi que quero ir longe.

Giordano Narada
maisdoqueideias

Ps. Obrigado a você que decidiu caminhar comigo.

Artigos Relacionados


Giordano Narada

Giordano Narada é empresário, criador da maisdoqueideias, acredita que ideias são sementes de realidade. Idealizador de diversos treinamentos onlines, tem ajudado centenas de pessoas a construir renda a partir da Internet começando do zero, defendendo a ideia de que qualquer pessoa pode empreender se tiver apenas dois elementos simples: Vontade e Informação.

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *