1 de 101 – Fontes de Poder – Onde buscar forças quando parece que não dá mais para continuar

c210f1509e2ce67dd36779f2af00fe76

Desde os meus 13 anos de idade que procuro entender quais são as chaves do sucesso das pessoas realmente bem sucedidas.

Li dezenas de biografias, assisti documentários, filmes e vídeos sobre a vida dos maiores nomes da história da humanidade. Conversei com as pessoas mais diversas, perguntei tudo o que eu podia sobre tudo o que eu acreditava que pudesse oferecer uma chance de descobrir os segredos dos grandes. 

Já faz quase 20 anos que comecei essa jornada, e acredito ter aprendido algumas coisas muito poderosas que pretendo dividir com você aqui no blog, em uma série de 101 textos sobre O Segredo do Sucesso das Pessoas Realmente Bem Sucedidas. 

Algumas dessas chaves eu mesmo aplico na minha vida e tenho alcançado êxito em muitas coisas que me propus a fazer, e por isso também vou dividir coisas minhas com você, sempre que fizer sentido e sempre que eu tiver legitimidade para falar sobre o assunto.

Esse é o primeiro de 101 textos diários e hoje quero falar sobre Fontes de Poder.

Ao longo desses quase 20 anos de pesquisas, entrevistas e também andando ao lado de pessoas bem sucedidas, descobri que TODOS os homens e mulheres de sucesso possuem FONTES DE PODER.

Essas fontes são como poderosos amuletos, postos de combustível para a alma, poços de água limpa e fresca bem no meio do deserto. São lugares na mente que, ao visitarmos, renovam nossas forças de maneira que o impossível deixa de parecer tão impossível assim.

Aquele que visita suas Fontes de Poder é “imparável”. É como um soldado obstinado que parte para a batalha sabendo que voltará com a vitória ou então não voltará. Ou vence ou morre.

“Mas Giordano, o que são essas tais Fontes de Poder?”

Para explicar, vou te contar uma história minha.

Eu tenho um filho de 10 anos chamado Davi, de um relacionamento que tive quando era muito jovem e imaturo. Eu me separei da mãe dele quando ele tinha 4 ou 5 anos, mas fiquei sempre por perto até 2012, quando fali uma empresa e mal tinha dinheiro para pagar o quarto de pensão onde morei por quase aquele ano inteiro.

Em dois anos eu o vi apenas duas vezes, porque não tinha dinheiro para viajar. E quando eu conseguia algum dinheiro, preferia mandar para a mãe dele ajudar nas contas da casa dos pais dela, onde ela precisou morar de favor por um tempo também. Eu não conseguia ajuda-los a ter sequer um lugar para morar que fosse só deles.

No final de 2013 ou começo de 2014 (não me lembro exatamente), eu consegui visitá-lo e soube que ele estava sentido dores nas costas, porque usava o computador no chão, por não ter uma mesa e cadeira. Então fui até uma loja com ele para comprar uma mesa e uma cadeira. Eu queria que ele escolhesse. 🙂

Depois que ele escolheu a mesa e a cadeira, eu perguntei se ele estava precisando de mais alguma coisa. Ele olhou em volta, na loja, e disse: “Papai, preciso de Lápis de Cor pra levar na escola”. Eu disse que ele podia pegar e ele escolheu uma daquelas caixas com 24 cores. Ele pegou a caixinha, deu três passos em minha direção e voltou. Colocou a caixa de Lápis de Cor no lugar e pegou outra caixa, agora com 12 cores.

Eu perguntei: Filho, porque você trocou a caixa maior pela menor?
E ele respondeu: Porque é mais barato, papai, e a gente sempre tem que comprar o mais barato.

Eu segurei pra não chorar ali no meio da loja. 

Peguei ele pela mão, voltei até onde estava o Lápis de Cor, e expliquei que ele poderia pegar a caixa com 24 cores se ele precisasse, pois o papai tinha condições de comprar.

Naquele dia fiz com que ele entendesse que dali em diante ele poderia ter o que quisesse, desde que soubesse a diferença entre preço e valor, e que realmente precisasse daquilo que estava comprando. E comecei a trabalhar com ele (e comigo) a mentalidade de abundância que nós dois precisávamos ter para que nada, NUNCA MAIS, nos faltasse.

Depois que deixei ele em casa e voltei para o quarto de hotel onde estava hospedado naqueles dias em que fui visita-lo, eu não consegui segurar o choro. E ali mesmo eu jurei para mim mesmo que NUNCA MAIS permitiria que ele tivesse falta de nada.

Desde aquele dia, comecei a prosperar como nunca na vida e sempre que eu me vejo com alguma dificuldade em gerar riqueza, ou encontro problemas que podem afetar o meu crescimento financeiro, eu me lembro do dia em que meu filho escolheu o Lápis de Cor mais barato e me transformo em um leão destemido e determinado.

Meu filho é minha Fonte de Poder e a memória daquele Lápis de Cor é o que me faz acessar, dentro de mim, a força que eu preciso para vencer qualquer obstáculo na vida.

E cada homem e mulher de sucesso que eu já conheci ou soube a respeito também tem suas fontes de poder.

E você, sabe quais são suas fontes de poder? 

Se você ainda não sabe, procure encontrar dentro e em volta de você o que é que lhe dá forças para vencer.

E se você já sabe quais são suas fontes de poder, me conta quais são aqui nos comentários. Quando a gente fala disso, parece que fica mais forte ainda.

Grande abraço e VAMO PRA CIMA!

Giordano Narada
maisdoqueideias

PS.: QUER SER AVISADO QUANDO SAIR O PRÓXIMO TEXTO? Cadastre seu e-mail na lista de conteúdo VIP abaixo =)

Giordano Narada

Giordano Narada é empresário, criador da maisdoqueideias, acredita que ideias são sementes de realidade. Idealizador de diversos treinamentos onlines, tem ajudado centenas de pessoas a construir renda a partir da Internet começando do zero, defendendo a ideia de que qualquer pessoa pode empreender se tiver apenas dois elementos simples: Vontade e Informação.

Website:

2 Comentários

  1. Pingback: O que me faz permanecer de pé

  2. Felipe Nascimento

    Fantástico Narada, todos nós temos e devemos buscar essas fontes de poder dentro da gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *