66 de 101 – Quando a gente olha pra trás e vê as burradas que a gente fez…

Quando a gente olha pra trás e vê as burradas que a gente fez…

errei

Tem horas que a gente olha pra trás e vê quanta burrada a gente fez, quanta gente se machucou por nossa causa, e o quanto a gente já se machucou também…

Que dá vontade de ter uma máquina do tempo pra fazer o relógio voltar e a gente poder consertar tudo. É verdade ou não é?

Eu sinto isso às vezes.

Se eu, de 32 anos cruzasse com meu outro eu de 18 anos, a primeira coisa que eu faria é dar uma surra nesse moleque. Ô menino sem noção.

Depois eu daria algumas orientações sobre como a vida funciona e como tudo poderia ser muito mais fácil se ele tivesse um pouco mais de calma.

É assim que eu penso algumas vezes, quando os nervos estão à flor da pele, quando as coisas não estão saindo como eu gostaria, quando bate aquela tristeza vinda do nada.

Mas logo depois eu me observo com calma, e olho pra trás com os olhos de quem sabe que a vida é feita de escolhas e consequências, e me lembro de quanta coisa boa aconteceu.

As pessoas legais que eu conheci, os lugares que visitei, as experiências boas que vivi, os relacionamentos que construí…

Tanta coisa boa aconteceu, e tudo fruto das mesmas decisões que algumas vezes me entristecem quando lembro. Mas afinal, como pode uma decisão ruim trazer uma consequência boa?

A verdade é que não existem coisas boas e nem coisas ruins, apenas decisões e consequências. Algumas consequências você deseja para si, outras não. É só isso. E como adultos devemos aprender a lidar com isso.

Por vezes, perdemos um tempo precioso de nossas vidas nos lamentando por coisas que fizemos ou deixamos de fazer quando, no fim das contas, se trata apenas de ação e reação, decisão e consequência. Lamentar-se pela consequência de uma decisão é uma das maiores idiotices que um ser humano possa cometer. Mas a real é que a gente é meio idiota mesmo com essas coisas.

Mas como é que sai dessa então?

Bom, a primeira coisa é admitir que a gente não vai voltar ao passado e que não dá pra mudar nada do que aconteceu. Quando a gente cai na real sobre isso, fica mais fácil dar o próximo passo que é decidir tomar decisões mais conscientes daqui pra frente.

E por último, entender que a vida não é boa e nem ruim, e que as consequências das nossas decisões também não são boas e nem ruins.

É o que é.

Se erramos, erramos. Se acertamos, acertamos. É o que é.

Errar faz parte do processo de acertar, e foram nossas decisões que nos trouxeram até aqui.

Se aqui onde você chegou não é o lugar onde gostaria de estar, beleza, tome decisões diferentes para mudar o seu destino até conseguir criar as consequências que você deseja criar.

O que não pode é ficar se lamentando porque as coisas não aconteceram do jeito que você gostaria.

É o que é.

Sacou?

Então, vamos lá pra vida fazer dela alguma coisa diferente daquilo que fizemos antes, em direção a alguma coisa que seja mais parecida com aquilo que a gente sonhou.

Sem choro, sem lamento. Sem vitimização e sem sofrimento. O que passou, passou, e o que é, é.

Vamo pra cima!

Giordano Narada
maisdoqueideias

Artigos Relacionados


Giordano Narada

Giordano Narada é empresário, criador da maisdoqueideias, acredita que ideias são sementes de realidade. Idealizador de diversos treinamentos onlines, tem ajudado centenas de pessoas a construir renda a partir da Internet começando do zero, defendendo a ideia de que qualquer pessoa pode empreender se tiver apenas dois elementos simples: Vontade e Informação.

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *