Amigo é dinheiro no bolso?

i-love-my-money-shirt-light

Você não conhece uma pessoa até que mexa no bolso dela. Você não conhece seu amigo, nem sabe se ele é realmente seu amigo, até que um conflito financeiro aconteça. Enquanto seu amigo não gastar dinheiro com você, enquanto ele não tiver prejuízo por sua causa, você não sabe se ele realmente é seu amigo.

Agora, falando especificamente sobre ficar devendo dinheiro, quando você deve dinheiro a uma instituição financeira, um fornecedor, uma loja, ou coisa semelhante é um tanto constrangedor, pelo menos para mim. Eu considero dever qualquer coisa uma coisa ruim. Mas ainda que seja constrangedor e traga uma série de problemas para quem fica devendo, na maioria das vezes é uma coisa impessoal. Você compra, não paga, seu nome vai parar no SPC e no SERASA e você não consegue comprar mais nada enquanto não pagar. De vez em quando uma agencia de cobranças liga, uma cartinha chega, um e-mail aparece na caixa de entrada, mas até aí a relação sua com a instituição é impessoal. Então você trabalha, ganha dinheiro, paga no tempo que conseguir, e volta a comprar na mesma loja, se quiser. Sem ressentimentos.

Já quando você deve dinheiro a um amigo, a coisa é bem diferente. Se você quiser correr o risco de perder uma amizade, peça dinheiro emprestado. Quer dizer, enquanto você pega emprestado e consegue pagar, a amizade é a mesma. Mas se por algum daqueles sacolejos da vida, você tiver que deixar de pagar seu amigo, prepare-se para conhecer sua verdadeira face.

Eu não sei por que, mas o dinheiro tem esse poder sobre as pessoas. O poder de decidir de quem você gosta e de quem você não gosta. Definitivamente, você não gosta de quem lhe deve dinheiro e não paga.

Agora, meu ponto principal nesse texto é: quanto vale uma amizade?

 

Amizade de verdade não tem preço, todos nós sabemos. Mas quantas amizades verdadeiras nós temos? Quantos dos nossos relacionamentos de amizade sobreviveriam a um empréstimo não pago?

O pior cenário é quando você pega dinheiro emprestado com o amigo, não consegue pagar, e o amigo entra em apuros por alguma razão e procura você.  Quando a necessidade bate, a amizade “vai pro saco”. Perco a amizade, mas não perco meu dinheiro, é o lema.

Que tipo de amizade não sobrevive a uma desavença financeira? A amizade inexistente. O que chamam de amizade, de um modo geral, não passa de um jogo de interesses. Quando “o bicho pega” é que você sabe quem são os seus e quem não são.

Meu conselho pra você hoje é: não deva nada a ninguém. Mas se isso não for possível, pelo menos não deva nada aos seus amigos. Procure um agiota, mas não seus amigos, pois você vai acabar descobrindo que tem menos amigos do que imagina. Aliás, é possível que você descubra que está só.

E se você for o amigo que empresta dinheiro, pare. Se você pode dar o dinheiro, dê. Se não pode, ajude seu amigo a conseguir um empréstimo no banco, mas não empeste seu dinheiro. Você vai perder o dinheiro, e o amigo.

Quando você disser não, talvez perca o amigo de qualquer jeito. Mas pelo menos não perdeu o dinheiro. (risos)

No fim das contas, até que aquele ditado tem alguma razão: “Amigo mesmo é dinheiro no bolso”

Giordano Nârada
maisdoqueideias

Giordano Narada

Giordano Narada é empresário, criador da maisdoqueideias, acredita que ideias são sementes de realidade. Idealizador de diversos treinamentos onlines, tem ajudado centenas de pessoas a construir renda a partir da Internet começando do zero, defendendo a ideia de que qualquer pessoa pode empreender se tiver apenas dois elementos simples: Vontade e Informação.

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *